25 de fev de 2010

EDIR É DÍZIMO. ARQUIDIOCESE DIZIMA.

(uma dica de música: Spok Frevo Orquestra)

ARQUIDIOCESE QUER PROCESSAR FILME QUE DESTRUIU CRISTO
Da Redação Yahoo! Brasil.

"Destruir o Cristo Redentor no filme '2012' foi considerado um atentado contra a Igreja pela Arquidiocese do Rio de Janeiro (...).
(verdade, pôr a Rose no saco em "Tropa de Elite" é divertido. Mas mexeu com Cristo, mexeu com Deus)

O filme do diretor alemão Roland Emmerich, o mesmo de "O dia depois de amanhã" e "Independence Day", narra a história do fim do mundo (...) (comentário pessoal: pra mim, filme da história do fim de mundo é "Corinthians - 23 Anos em 7 Segundos"). "2012" é estrelado por John Cusack, Thandie Newton, Amanda Peet e Woody Harrelson. Vários monumentos são destruídos por computação gráfica, inclusive o Cristo Redentor.

A Arquidiocese do Rio não pode cobrar pelo uso da imagem do Cristo, mas tem poder de veto, com a justificativa de que se trata de um símbolo religioso e que deve ser preservado. O escritório da Columbia já foi notificado e os advogados da empresa em Los Angeles estão cuidando do caso.

A advogada Claudine Dutra, responsável pelo departamento jurídico da Arquidiocese, afirma que a Columbia procurou a entidade na fase de pré-produção e o pedido de autorização foi negado. (Tá........ E daí que foi destruído? Foi computação gráfica, raios... Se até isso implica pecado, coitado do editor da Playboy da Fernanda Young...) Ela explicou que ainda não há um valor estipulado para a indenização. (Ah... Esquece. Sem mais perguntas, Excelência)

O filme "2012" já não está mais em cartaz." (Graças a Deus. Mas, pelo jeito, não ao Cristo. O Redentor)

11 de fev de 2010

Sorria: o Desagradável está no ar


Nada como um bom post para ressuscitar o Desagradável. Eis que dessa vez ele vem da área acadêmica, pinçado de um artigo sobre saúde bucal no Brasil:

"Com relação à doença periodontal, os índices ainda são preocupantes
(Gráfico 5). Menos de 50,0% dos jovens brasileiros entre 15 e 19 anos não têm
problemas periodontais, porcentagem que diminui com o aumento da faixa etária pois,
dentre os idosos brasileiros (65 a 74 anos de idade), apenas 7,9% estão livres da
doença. Esta situação apresentou-se pouco mais favorável no Estado de São Paulo,
nas diferentes faixas etárias. Entretanto, índices periodontais apresentam-se baixos
entre os idosos, não por estarem saudáveis, mas por possuírem poucos dentes na
boca para serem examinados (Brasil 2004d)."

Pra quem quiser se aprofundar no assunto, é só ler o artigo inteiro.