3 de mar de 2010

Valores agregados e embutidos

O mundo corporativo sempre consegue nos surpreender. A linguagem do mundo corporativo, então, nem se fala. Quem mexeu no seu queijo bem pode atacar seu salame.


Gente não é salame

Marcelo Silva, diretor superintendente do Magazine Luiza, revela os segredos de gestão em que a prosperidade é compartilhada e na qual prevalece o respeito, a atenção e carinho pelas pessoas

No livro Gente não é salame!, lançado pela Clio Editora, o executivo Marcelo Silva abre o jogo e mostra como fazer a diferença na montagem de grupos de trabalho coesos, motivados e em constante desenvolvimento.

Protagonista de uma formidável saga familiar, Marcelo narra a história de sua infância com a família em Per­nambuco e como isso moldou suas atitudes da vida adulta, sua dedicação e esforço para destacar-se profissionalmente. (praticamente o presidente Lula, preferências partidárias à parte)

A publicação relata como suas ideias transformadoras possibilitaram a obtenção de excelentes resultados, primeiro em cargos importantes na empresa de auditoria Arthur Andersen e no grupo Bompreço, onde trabalhou por mais de 20 anos e realizou notáveis trabalhos com foco (expressão que não poderia faltar) nos pontos estratégicos do segmento de varejo, tanto no comando da rede Casas Pernambucanas no período de 2002 a 2009 e recentemente como diretor superintendente do Magazine Luiza.

O livro, de linguagem clara, objetiva e cativante, desvenda os segredos desse fantástico case empresarial e mostra como é possível conciliar a busca por excelentes resultados com a felicidade e a realização da equipe de colaboradores.

O sucesso do trabalho de Marcelo Silva não é baseado em nenhum método revolucionário de administração. Ele aposta num modelo de gestão onde as “pessoas” vêm em primeiro lugar. “Para alcançar resultados financeiros desejados somente funcionários felizes, comprometidos e motivados darão o máximo de sua contribuição”, reforça o autor.

De perfil criativo, inovador e pragmático, o executivo apresenta em Gente não é salame!, uma compreensão e respeito à equipe. “Que este trabalho possa ajudar, um tantinho que seja, a criar uma sociedade diferente, mais justa, em que a prosperida­de seja efetivamente compartilhada e na qual prevaleça, acima de tudo, o respeito, a atenção e o carinho pelas pessoas”, finaliza Marcelo Silva.

6 comentários:

César disse...

Gente não é salame. Seria eu um pedaço de chuleta? Rs E a Carol? Um pedacinho de filé mignon?

Carol Abe disse...

Mortadela!

ba disse...

Que será que ele quis dizer com "prevaleça (...) o carinho pelas pessoas"? Se tiver uma vendedora parecida com o destaque da foto, poderei pedir carinho pra ela?

tóin disse...

flagra de ato falho: "Ele aposta num modelo de gestão onde as “pessoas” vêm em primeiro lugar."

se gente não é salame, então por que "pessoas" tem q vir entre aspas?

salame disse...

Caro Tóin... devo mandar um tóin na sua orelha... se você prestar atenção as "pessoas" que você questiona entre aspas, refere-se a uma citação do autor, por isso, está entre aspas.

Caso não saiba, em um texto quando há citação as aspas são usadas para destacar o pensamento do autor!

No mais... aproveite o salame!

Carol Abe disse...

Xi, salame mexeu no queijo do tóin!